Cuidados Com a Saúde

Dezembro laranja: por que precisamos falar sobre o câncer de pele?

15/12/2020

Por

Mayla Cassia Carbone

Dezembro laranja: por que precisamos falar sobre o câncer de pele?

Você sabia que, segundo o INCA, Instituto Nacional do Câncer, 27% de todos os tumores malignos no Brasil, são de câncer de pele? Isso representa 177 mil novos casos da doença por ano. Um número bastante assustador, não é mesmo?

Os números de incidência do câncer de pele são maiores do que os cânceres de próstata, mama, cólon e reto, pulmão e estômago.

Pensando nisso, Dezembro foi escolhido, no calendário da saúde, como o mês do combate ao câncer de pele. E nós precisamos falar sobre essa doença silenciosa.

Por isso, nós convidamos a dermatologista Mayla Cassia Carbone para nos explicar melhor sobre os tipos de câncer, principais mitos e verdades, dicas para manter a pele saudável e mais. Vamos lá?


O que é o câncer de pele e quais os sintomas

Existem vários tipos de câncer de pele e cada um deles se manifesta de uma forma. Para poder explicar o que é a doença, precisamos, então, conhecer cada uma dessas possibilidades.

Carcinoma basocelular

Esse é o tipo de câncer de pele mais comum, representando 70% dos casos, mas também o menos perigoso de todos eles. Isso não quer dizer que ele não seja letal, na verdade, as chances de cura desse tipo são maiores se encontrado precocemente.

Os sintomas desse tipo de câncer de pele são relacionados à manchas que se formam e multiplicam de forma desordenada. Juntas, elas podem formar um sinal.

Esse câncer é encontrado, geralmente, nas partes do corpo que ficam mais expostas ao sol, como rosto e pescoço. A estimativa é que o nariz seja o local mais frequente de manifestação desse câncer.

Carcinoma espinocelular

O segundo tipo mais frequente de câncer de pele é o carcinoma espinocelular, que representa 20% dos casos encontrados. Esse tipo acomete mais pessoas idosas, com cerca de 60 a 70 anos, e também é encontrado com mais frequência em áreas expostas ao sol.

Geralmente, manchas e sinais que desenvolvam esse tipo de câncer crescem de tamanho e largura, como verrugas. Ele também representa maior chance de evolução para outros órgãos, se não tratado, que o basocelular, que citamos acima.

Melanoma

Por fim, o tipo de câncer de pele menos encontrado, mas mais fatal. O melanoma pode acontecer em toda a pele, mas, mais frequentemente nos olhos, orelhas, trato gastrointestinal, mucosas e genitais. 

Embora ele seja diagnóstico cause medo, as chances de cura desse câncer são de 90% se tratado de forma precoce.

Os sinais do melanoma são, em geral, pintas e sinais que mudam de cor, formato e tamanho e causam sangramento. Diferentemente do espinocelular, ele não cresce como uma verruga.


Mitos e verdades sobre o câncer de pele

Muito se fala sobre o câncer de pele e, muitas vezes, essas informações não são verdadeiras, as chamadas fake news ou, devido ao avanço da ciência, algumas já deixaram de ser realidade.

Por isso, nós separamos as principais dúvidas e mitos sobre o câncer de pele! Confira:

Pessoas de pele clara têm mais probabilidade de desenvolver câncer de pele?

Sim, é verdade! Qualquer um de nós pode desenvolver o câncer de pele, porém existem pessoas mais propensas, como as de pele, cabelos e olhos claros. Além desses, podemos citar, também, indivíduos com histórico familiar de câncer de pele, múltiplas pintas pelo corpo e pacientes imunossuprimidos ou transplantados.

Mesmo em dias nublados, eu preciso usar filtro solar?

Sim, precisa! Mesmo em dias nublados, nossa pele recebe os raios solares. Por isso, a proteção e uso do filtro solar deve ser mantida mesmo em dias nublados e chuvosos.

O câncer de pele pode ser hereditário?

Infelizmente, sim. Este evento é raro, mas pode acontecer. Por isso, se você tem histórico de câncer de pele na família, é sempre importante estar em dia com o cuidado da sua pele e fazer um acompanhamento com o seu dermatologista.

Me exponho pouco ao sol, então não corro risco de desenvolver câncer de pele.

Esse fato é um mito. Infelizmente, o câncer de pele pode se desenvolver também em pessoas que se expõem pouco ao sol, apesar de ele acontecer com maior frequência em pessoas que se expõem mais.

O autoexame não é recomendado para câncer de pele.

Isso não é verdade! É recomendado que todo mundo fique atento à própria pele, afinal, você conhece o seu corpo melhor do que ninguém. O autoexame pode ajudar a detectar um possível câncer de forma precoce e aumenta, muito, as chances de cura.


Vitamina D na quarentena: posso tomar sol?

Devido à pandemia da Covid-19, a orientação da OMS é que, se possível, as pessoas pratiquem o isolamento domiciliar, ou seja, fiquem em casa. 

Com isso, inúmeras dúvidas surgiram a respeito da exposição solar e da busca segura por vitamina D, importante para os nossos ossos e que nós absorvemos por meio dos raios solares.

Quais as orientações para tomar sol na quarentena?

As orientações, na verdade, são as mesmas! O ideal é que a exposição ao sol aconteça diariamente, por cerca de 10 minutos. Os horários recomendados são os horários em que o sol está menos intenso: entre 9h e 11h da manhã e depois das 16h da tarde.

Preciso usar filtro solar, mesmo em casa?

O ideal é que o uso do filtro solar se mantenha, mesmo em casa. Afinal, estamos expostos aos raios solares, mesmo que indiretamente.

Se eu tomar muito sol em casa, corro risco de desenvolver câncer de pele?

A resposta é sim! Como em qualquer outra situação, a exposição exacerbada ao sol é um fator agravante para o câncer de pele. 

Dicas para incorporar o hábito de usar protetor solar

Nós sabemos que incorporar o uso do protetor solar na nossa rotina pode ser difícil, especialmente se não tivermos esse hábito anteriormente. No entanto, é extremamente necessário que isso aconteça.

Por isso, nós separamos algumas dicas que podem te ajudar a tornar o hábito de usar protetor solar algo corriqueiro na sua rotina. Confira:

1. Comece dentro de casa

A primeira dica é: comece dentro de casa. Teste os produtos que você mais gosta para entender qual a sua pele vai se adequar melhor e qual você mais gosta. No entanto, é importante que todos eles tenham um fator de proteção adequado.

2. Crie uma rotina

A rotina é a forma mais eficiente quando queremos criar um hábito. Por isso, que tal começar a passar o filtro solar sempre depois do banho da manhã? Ou logo depois de escovar os dentes? Teste rotinas que funcionem para você.

3. Leve, sempre, um protetor solar com você

Esqueceu de passar o protetor? Tudo bem! Sempre tenha um protetor com você, seja na bolsa ou na mochila. Dessa forma, você pode se proteger assim que lembrar.


Câncer de pele é coisa séria e nós não podemos falar sobre ele só em Dezembro. Por isso, se cuide e fique sempre atento à sua pele. Em caso de suspeita, calma! Respire e marque um dermatologista o quanto antes.

Não deixe essas dicas ficarem aqui. Compartilhe com seus amigos, colegas de trabalho e familiares!

Logotipo Pipo Saúde
Pipo Saúde

Conectamos a sua empresa com os melhores benefícios de saúde: Planos de saúde, odontológico e muito mais para o bem estar dos colaboradores da companhia.

Atendente

Pronto para simplificar a gestão de saúde da sua empresa?

Comece agora uma nova relação com o plano de saúde da sua empresa.

Quero uma cotação

Posts recomendados