Ansiedade no trabalho: causas e como o RH pode ajudar

27/5/2021

Por

Larissa Reis

Ansiedade no trabalho: causas e como o RH pode ajudar

O Brasil é o país mais ansioso do mundo e este é um transtorno que pode ser incapacitante, ainda que temporariamente. Por essa razão, falar de ansiedade no trabalho é de grande importância.

Em partes, a sociedade ainda está aprendendo que saúde mental não é frescura e nem invenção moderna. Ainda existem pessoas que têm dificuldades em aceitar isso e que dirá falar sobre.

Acontece que zelar pela saúde e bem-estar dos trabalhadores é um dever dos empregadores. Assim, não há espaço para escolher não falar sobre ansiedade. Vem com a gente para essa conversa?

Neste artigo, você encontra:

O que é ansiedade?

Para falar de ansiedade no trabalho, primeiro, precisamos te contar sobre o que é a ansiedade de fato; aquela classificada como uma questão de saúde mental.

Até certo ponto, a ansiedade é algo normal e até benéfico para as pessoas. Sabe aquele friozinho na barriga que sentimos antes de algo importante? Isso é natural e provoca a liberação de hormônios que nos deixam mais alertas.

Porém, não é dessa ansiedade que estamos falando. Uma crise de ansiedade decorre da preocupação excessiva, gera agitação mental e até sintomas físicos.

Isso acontece quando situações que desencadeiam a crise atuam como curto-circuito e provocam a liberação de uma descarga de noradrenalina e adrenalina.

São os mesmos hormônios de antes, mas nesses casos, sua liberação provoca sintomas como coração acelerado, sudorese em níveis anormais, calafrios, dificuldade para respirar e até dor no peito.

Com tudo isso, pode ser extremamente difícil, ou até impossível, para que alguém aja como se nada estivesse acontecendo.

Uma crise de ansiedade pode durar pouco, mas também pode acontecer de forma recorrente e evoluir para um Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG).

O que é ansiedade no trabalho?

Com base em tudo isso, fica mais fácil entender que a ansiedade no trabalho está associada a uma preocupação intensa e excessiva diante de questões do cotidiano.

Entenda que uma crise de ansiedade pode acontecer em razão de uma questão claramente muito importante, como a participação em um processo interno para uma promoção.

Porém, também pode ser desencadeada por algo que, antes, era encarado com mais naturalidade. Isso porque a ansiedade prejudica o estado emocional a ponto de fazer com que uma tarefa simples possa ser cercada de grande estresse.

No contexto do trabalho, uma situação em que as crises de ansiedade se tornam frequentes pode estar relacionada à responsabilidades e cobranças excessivas, bem como a questões da vida pessoal do trabalhador.

Ansiedade durante a pandemia da Covid-19

Não é de hoje que somos o país mais ansioso do mundo. Essa informação, inclusive, foi apresentada pela OMS e, já há algum tempo, incita debates sobre a forma como lidamos com questões de saúde mental.

Isso não muda o fato de que a Covid-19 e aumentou os níveis de ansiedade. A pandemia é um fator agravante para a saúde mental dos profissionais e isso reforça a importância de tratarmos da ansiedade no trabalho.

Em geral, a ansiedade tem a ver com a preocupação excessiva com o futuro e com a falta de controle sobre o que vai acontecer. Com base nisso, você consegue entender porque as questões estão tão atreladas?

Em junho de 2020, uma pesquisa da Willis Towers Watson indicou que nove em cada dez funcionários (92%) relataram algum nível de ansiedade decorrente da pandemia, com 55% indicando grau moderado ou alto.

Como identificar as causas de ansiedade no ambiente corporativo

Quando trazemos a pandemia para a conversa, indicamos que há fatores relativos à ansiedade no trabalho que fogem ao controle da empresa. Quer exemplos?

Uma organização não pode controlar todas as incertezas da vida que foram geradas pela pandemia. Até o medo acentuado de uma demissão pode ser difícil de lidar, já que a instabilidade financeira é real.

Porém, há algo que sua empresa pode fazer: evitar a estafa, evitar a exaustão mental de seus funcionários. Para isso, primeiro, é preciso avaliar o cenário e identificar o problema e suas origens.

Uma boa forma de fazer isso é aplicando pesquisas de clima organizacional e de satisfação. É o RH quem elabora as perguntas e as respostas são anônimas.

Assim, os funcionários podem ser mais sinceros para apontar quais situações ― ou até quais pessoas da hierarquia corporativa ― lhe causam estresse e ansiedade e o porquê.

Como o RH pode ajudar a sua equipe

Para aprofundar um pouco mais nessa questão e na atuação do RH, listamos o que o setor pode fazer para ajudar a identificar a ansiedade no trabalho e cuidá-la da melhor forma. Confira:

Entenda a sua mapeie a sua equipe

Algumas crises de ansiedade são tão intensas que não é possível escondê-las. Em outros casos, porém, a pessoa pode sofrer a ponto de não conseguir trabalhar direito, mas estar aparentemente normal.

Por essa razão, é importante conhecer melhor os funcionários e acompanhá-los mais de perto;

Demonstre empatia em relação à dor do colaborador

As pessoas têm medo de compartilhar questões que podem ser mal-interpretadas como sinais de fraqueza. E temem mais ainda fazer isso no trabalho por medo de algum tipo de retaliação.

Sendo assim, é fundamental que o RH tenha uma postura mais acolhedora;

Crie um canal exclusivo para falar de saúde mental

Mesmo quando a cultura da empresa se abre para tratar de questões de saúde mental, pode ser desafiador falar a respeito. Por isso, convém ter um canal exclusivo para o tema.

A ideia é incentivar que as pessoas abordem sua ansiedade, e outras questões relacionadas, e se sintam seguras para fazê-lo;

Faça um cronograma de materiais sobre o assunto

A educação é a melhor forma de combater o estigma dos transtornos mentais e ajudar pessoas a identificar, prevenir e lidar melhor com as questões.

Assim, é interessante que a empresa participe criando conteúdos educativos, convidando palestrantes e lançando mão de outras estratégias para integrar essa conversa ao seu dia a dia;

Ofereça um benefício de saúde mental

Cuidar da saúde mental é tão importante quanto cuidar da saúde física. É interessante oferecer benefícios que englobem o tratamento psicológico e psiquiátrico.

Direitos do colaborador com ansiedade e depressão

A essa altura, esperamos que esteja claro que ansiedade não é frescura; e que o mesmo vale para outros transtornos de saúde mental como a depressão.

Aliás, ambos transtornos são considerados doenças. Em alguns casos, segundo a avaliação médica, podem ser tratados sem demandar que o trabalhador se afaste de suas funções.

Em outros, porém, se tornam tão incapacitantes que demandam o afastamento e garantem o direito ao auxílio-doença pago pelo INSS. A decisão cabe aos médicos competentes.

Conclusão

A ansiedade no trabalho é uma questão que pode ter relação com o próprio trabalho ou com fatores externos. Em ambos os casos, merece atenção do RH e da alta-gestão, inclusive para inspirar ações de promoção da saúde.

Abrir espaço para o tema e oferecer benefícios de saúde mental é positivo para os funcionários e para a empresa. O cuidado evita que os trabalhadores adoeçam e contribui para que mantenham seu bem-estar e produtividade elevados.

Sabe quem pode te ajudar a encontrar os melhores benefícios em saúde para a sua organização? A gente! Conheça a Pipo!

Logotipo Pipo Saúde
Pipo Saúde

Conectamos a sua empresa com os melhores benefícios de saúde: Planos de saúde, odontológico e muito mais para o bem estar dos colaboradores da companhia.

Inscreva-se na Newsletter da Pipo!

Imagem de um brilho.

Pronto para simplificar a  gestão de saúde da sua empresa?

Comece agora uma nova relação com o plano de saúde da sua empresa.

Quero uma cotaçãoImagem de uma estrelinha.

Posts recomendados