PPRA: como implementar na sua empresa?

Por

Pipo Saúde

Publicado em

26/4/22

Atualizado em

Além de ser uma excelente estratégia para melhorar os resultados, cuidar da segurança e do bem-estar dos funcionários é uma obrigação dos empregadores. Existem várias documentações e programas que a empresa precisa desenvolver para garantir que os colaboradores não vão ser prejudicados pelos riscos do ambiente de trabalho. 

Ao longo do conteúdo, vamos falar sobre um dos principais deles: o PPRA (Programa de Prevenção a Riscos Ambientais).

Confira os tópicos que serão abordados: 

O que significa PPRA?

PRRA é a sigla para Programa de Prevenção a Riscos Ambientais um conjunto de atividades contínuas de segurança do trabalho criado para promover a integridade física e mental dos colaboradores.

A Norma Regulamentadora 9, que foi criada em 1978 e teve a sua última atualização em março de 2020, é responsável por definir as regras de criação e implementação do PPRA.

O objetivo é identificar os riscos do ambiente de trabalho, como alto nível de ruído, problemas de ergonomia, luminosidade excessiva, acidentes, e criar estratégias para que esses perigos não interfiram na saúde e segurança dos funcionários.

PCMSO e PPRA: entenda a diferença

É comum que se confunda PCMSO e PPRA, mas apesar de ambos estarem relacionados à saúde e segurança dos colaboradores, as abordagens são diferentes. 

Enquanto o PPRA está voltado para segurança do trabalho, fazendo a identificação, controle e redução dos riscos no ambiente de trabalho, o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional visa a realização de avaliações da saúde do funcionário ao longo da sua jornada.

Sendo assim, os dois programas são extremamente relevantes para a organização e se complementam.

Para que serve e qual o objetivo do PPRA?

O PPRA ajuda a empresa a estabelecer medidas para controle ou eliminação dos riscos ambientais existentes no ambiente de trabalho. A intenção é que as ameaças, sejam elas causadas por agentes físicos, químicos ou biológicos, não prejudiquem a saúde e a segurança dos colaboradores.

Por que minha empresa deve ter?

Muito além de uma mera obrigação trabalhista, o PPRA é uma ferramenta importante para garantir a segurança e a saúde corporativa. Sendo assim, desenvolver o programa é uma forma de conseguir planejar ações eficazes para tornar o ambiente de trabalho mais seguro e saudável.

PPRA é obrigatório?

Sim. O processo é obrigatório em empresas que admitem funcionários em regime CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Sendo assim, mesmo organizações que tenham apenas um funcionário, se ele for registrado pela CLT, o PPRA deve ser desenvolvido.

Quem pode elaborar o PPRA?

De acordo com a NR 9, o programa pode ser implantado, acompanhado e avaliado pelo Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT) ou por um colaborador (ou uma equipe de funcionários) que sejam aptas a fazer isso.

Benefícios do PPRA para a empresa 

Como vimos, a elaboração do PPRA é obrigatória para empresas que tenham funcionários registrados pela CLT. Entretanto, o programa não deve ser encarado como algo chato ou desnecessário. Afinal, ele traz várias vantagens para as organizações. Veja algumas delas:

Ajuda na organização de laudos e treinamentos

Durante o desenvolvimento do PPRA é natural que a empresa tenha que garantir outras documentações, como laudos de segurança do trabalho. Sendo assim, a administração desse tipo de burocracia precisa ser otimizada. 

Além disso, conhecendo melhor os riscos do ambiente de trabalho, fica mais fácil descobrir quais são os treinamentos e equipamentos de segurança que precisam ser adquiridos pela empresa.

Melhora o engajamento e a produtividade

Por meio do PPRA, a empresa consegue reduzir o número de acidentes de trabalho e faltas por conta de doenças ocupacionais. Além disso, o time compreende que a organização está preocupada com a sua segurança e bem-estar — o que impacta diretamente na produtividade e engajamento.

Inibe a realização de atividades improvisadas

Quando as questões relacionadas à segurança do trabalho não estão documentadas, é natural que existam várias ações improvisadas na rotina dos funcionários. Afinal, sem a orientação correta, o colaborador costuma agir conforme a situação pede e como ele acredita ser o melhor.

Apesar de comum, a improvisação aumenta os riscos e precisa ser evitada. Com o PPRA, essas atividades vão ser analisadas, avaliadas e adaptadas para que os processos fiquem mais seguros.  

Diferença entre PPRA e PGR

Nós já falamos sobre a diferença entre o PPRA e o PCMSO, mas existem outras siglas relacionadas a segurança e saúde ocupacional que também geram dúvidas. Por exemplo, você entende a diferença entre PPRA e PGR? O PPRA é muito focado em identificar e prevenir riscos relacionados ao ambiente de trabalho por conta de agentes físicos, químicos ou biológicos. O Programa de Gerenciamento de Risco (PGR) é mais amplo e também envolve questões de ergonomia, utilização de ferramentas e materiais, entre outros aspectos.

Conclusão

É fundamental atuar na identificação, eliminação, redução ou controle dos riscos no ambiente de trabalho. Como vimos, o PPRA é uma das ferramentas que podem contribuir para que isso seja feito de maneira eficiente.

A rotina do RH é muito agitada e é fácil se perder em meio a tantas obrigações trabalhistas, tendências e datas importantes. Para te ajudar nisso, a Tangerino e a Pipo Saúde desenvolveram o Kit Planejamento e Tendências 2022 para RHs e DPs. Faça o download gratuito para conferir!

banner-final-kit-tangerino
Logotipo Pipo Saúde
Pipo Saúde

Conectamos a sua empresa com os melhores benefícios de saúde: Planos de saúde, odontológico e muito mais para o bem estar dos colaboradores da companhia.

Pronto para simplificar a gestão de saúde da sua empresa?

Comece agora uma nova relação com o plano de saúde da sua empresa.

Quero uma demonstração

Posts recomendados