Como reduzir custos no processo de recrutamento e seleção?

25/2/2021

Por

Aline Oliveira

Como reduzir custos no processo de recrutamento e seleção?

Se de um lado as empresas têm muitas despesas com a contratação de funcionários, por outro, elas devem ter atenção para adotar um recrutamento inteligente e mais focado em reduzir os custos com os processos de recrutamento e seleção. 

Afinal, um processo mal feito pode trazer muito mais prejuízos dos que os financeiros. Entre eles estão a necessidade de realizar um novo processo seletivo — que gera desgaste e mais gastos de dinheiro e de tempo — desfalque de equipe, que atrapalha toda a produtividade, e aumento da taxa de rotatividade da organização.

Claramente, esses não são pontos positivos para nenhuma empresa, certo? E sabe por que eles acontecem? Porque muitos processos não ganham a devida atenção e acabam sendo comprometidos por erros que poderiam ser evitados.

Continue e entenda quais são eles, quais são as boas práticas e como reduzir os custos com essa atividade.

5 principais erros de recrutamento e seleção

Existem vários erros que, devido à correria ou falta de preparo, o RH acaba cometendo com os candidatos, inviabilizando não só o processo seletivo, como também a estrutura organizacional de maneira geral. Veja só!

1. Oferecer pouca informação sobre as vagas em aberto

Os recrutadores devem sempre ter em mente que, assim como eles desejam (e precisam) receber uma comunicação clara por parte dos candidatos, eles têm o mesmo dever com os profissionais. Então, todos os detalhes da vaga em questão devem deixar claros pontos como:

  • quais são os objetivos da contratação, ou seja, para preencher um cargo temporário, CLT, PJ, cobertura de férias, entre outros;
  • quais atividades o profissional vai desempenhar, em detalhes, de modo que conte um pouco como é a rotina de atividades;
  • quais são os benefícios e o salário oferecidos;
  • quais são os dias e horários de trabalho, assim como a possibilidade de trabalhar nos finais de semana, de realizar trabalho externo ou viajar para outras cidades, entre outros.

É importante ressaltar que os profissionais mais qualificados estão atentos a essas informações e à postura da empresa em relação a eles. Caso a experiência não seja positiva, o candidato pode perder o interesse na vaga e, consequentemente, a organização perder um grande talento.

2. Avaliar o candidato apenas pelo currículo

Se você trabalha com Recursos Humanos já deve ter ouvido a frase “Contrata-se pelo currículo, mas demite-se pelo comportamento” e o senso comum entre os gestores dessa área é que parece que essa frase nunca fez tanto sentido como ultimamente.

Acontece que as empresas estão ainda mais focadas nas habilidades comportamentais das pessoas, conhecidas como soft skills. Elas são inerentes ao perfil do colaborador e não podem ser representadas nos currículos, e sim, a partir da convivência e da troca de ideias.

Então, saiba que ter habilidades técnicas para ocupar o cargo é importante, mas tão importante quanto é ter o perfil comportamental ideal para atuar nessa empresa, acima de tudo. Por isso, o profissional certo é aquele habilitado tanto pelas capacitações quanto pela inteligência emocional.

3. Não alinhar as expectativas com o candidato

Já se deparou com candidatos que deixam claro que estão pleiteando a vaga para ficar apenas temporariamente, quando a vaga era para contratação efetiva? Se a sua postura foi desclassificar esse profissional do processo, está de parabéns, pois as expectativas dele não estavam alinhadas com as suas — e vice-versa.

No entanto, nem todos os gestores de RH agem dessa forma a acabam selecionando alguém que não tem planos profissionais condizentes com a realidade da organização. Isso só gera frustração e desgaste para ambas as partes, pois, ainda que o profissional tenha muitas qualificações, as expectativas devem estar em sintonia.

4. Deixar o fit cultural de lado

Outro erro muito comum é não atentar-se ao alinhamento do fit cultural. Isso acontece quando um profissional está alinhado aos objetivos da empresa, tem as experiências e capacitações compatíveis, mas não tem o essencial para ajudar no crescimento de um negócio: fit cultural. 

Ter fit cultural é compartilhar das mesmas visões, dos valores, da missão e cultura que embasam a organização. Pense que se essas ideias não estiverem alinhadas, são grandes as chances de lá na frente haver desmotivação, falta de envolvimento com o negócio e até ausências.

5. Não dar feedback aos candidatos

É muito angustiante participar de um processo seletivo, aguardar uma resposta e não recebê-la. Inclusive, esse é um dos piores erros dos RHs durante o recrutamento. Além de prejudicar a imagem da empresa, os profissionais podem perder o interesse em participar das seletivas caso fiquem sabendo que ela adota essa postura.

Dicas práticas para reduzir os custos nos processos seletivos

Precisávamos falar dos erros para você ter ciência do que não deve fazer, mas, claro, não deixaremos de abordar questões mais factíveis: o que fazer para diminuir os custos com os processos, a partir do que vimos acima.

Olhe para os talentos internos

Quando a empresa se depara com a necessidade de uma abrir uma nova vaga, é importante ter atenção aos talentos que já fazem parte do time e identificar se algum deles têm o perfil ideal. Às vezes, a pessoa certa pode estar bem à vista, basta abrir os olhos.

Invista no recrutamento à distância quando possível

Alguns dos gastos durante a seletiva de pessoal é com o aluguel de salas para realização de dinâmicas, com a impressão de folhas, compra de canetas e materiais necessários para as atividades. No entanto, pense em estratégias para reformular essas ações para o formato online com o qual, certamente, a empresa gastará bem menos.

Certifique que o fit cultural existe

Um profissional alinhado com o fit cultural da empresa tende a se comprometer muito mais e tem mais chances de trabalhar motivado e produzir melhor, porque ele faz o que gosta e o que acredita. Por isso, quando os valores são compartilhados, as chances de crescerem juntos é muito maior.

Aposte no employer branding

Quando uma marca é reconhecida por valorizar seus profissionais, ela passa a ser mais cobiçada no mercado de trabalho e isso reduz a necessidade de investir em ferramentas de contratação, já que a procura de interessados é alta. E nesse meio, estão os talentos valiosos que poderão oferecer resultados positivos para a empresa.

Invista em ferramentas adequadas

Anteriormente, falamos em identificar o perfil comportamental ideal para ampliar as chances de fazer a melhor contratação possível, mas como fazer isso? Não é complicado: invista em ferramentas como People Analytics, cujos dados do profissional serão coletados e mensurados para entender se ele é ou não compatível com a vaga.

Já não é novidade que a tecnologia oferece ferramentas indispensáveis para o RH, por isso, aposte em sistemas que ajudam a triar os currículos por palavras-chaves, que facilitem o acesso aos dados dos candidatos e outras maneiras de otimizar o seu processo seletivo.

Para finalizar, saiba que outra forma eficiente de reduzir custos para a empresa é investir em uma gestão de benefícios correta e alinhada com a realidade dela. A Pipo Saúde está sempre atenta ao uso da tecnologia para tornar a gestão dos benefícios de saúde mais prática e digital. Já conhece a plataforma?

Aproveite para conhecer e fazer uma cotação sem compromisso!

Logotipo Pipo Saúde
Pipo Saúde

Conectamos a sua empresa com os melhores benefícios de saúde: Planos de saúde, odontológico e muito mais para o bem estar dos colaboradores da companhia.

Inscreva-se na Newsletter da Pipo!

Imagem de um brilho.

Pronto para simplificar a  gestão de saúde da sua empresa?

Comece agora uma nova relação com o plano de saúde da sua empresa.

Quero uma cotaçãoImagem de uma estrelinha.

Posts recomendados