FORTO: o que é e como ajudar os colaboradores no retorno ao trabalho

Por

Aline Oliveira

Por

Atualizado em

Publicado em

7/2/22

“Nossos cérebros não gostam de incertezas”, disse o psiquiatra e neurocientista, Dr. Judson Brewer, diretor de pesquisa e inovação do Mindfulness Center da Brown University ao The New York Times, referindo-se à ansiedade causada a muitas pessoas que precisam retomar o trabalho presencial.

Mas por que há essa incerteza que faz com que as pessoas tenham medo de retornar às empresas? Saiba que esse não é um simples medo, mas sim, uma síndrome: Forto (Fear Of Returning To The Office), que em Português significa medo de voltar ao escritório

Entre as principais causas dessa insegurança estão a maior exposição aos riscos de contrair doenças, como a covid-19, o receio de como será a nova rotina de trabalho, o medo de reviver o estresse do ambiente corporativo, entre outros.

Neste artigo, vamos falar da importância de ter atenção ao Forto na sua empresa, quais são os sinais oferecidos pelos colaboradores, como ajudá-los e como promover melhorias para o time nesse sentido. Não deixe de acompanhar!

Forto é uma doença? Qual a gravidade? 

Embora seja popularmente conhecida como uma síndrome, saiba que Forto não é uma doença classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). 

Por isso, apesar de ser algo que acomete 20% dos profissionais, o medo do retorno ao trabalho pode ser considerado uma fobia e não uma enfermidade que demande tratamento específico.

No entanto, isso não quer dizer que o transtorno não mereça atenção, pelo contrário. É papel das empresas ajudar os colaboradores que passam por esse processo e, principalmente, identificar os principais fatores que provocam medo. A seguir, listamos as principais causas.

Quais as possíveis causas do medo de voltar ao escritório?

Ficou claro que o Forto não é uma síndrome grave e que o ideal é encarar a fobia como algo que é perfeitamente possível de superar sem grandes traumas? O primeiro passo para ajudar nesse processo é entender o que, exatamente, causa o medo do retorno ao escritório.

A psicóloga Fernanda Coutinho, em entrevista ao G1, enfatiza que o principal desencadeador da síndrome é o medo de estar mais vulnerável. Nesse sentido, saiba que a vulnerabilidade abrange diversos aspectos:

  • estar mais suscetível ao contágio pela covid-19, mesmo com as vacinas e boas práticas a serem seguidas para não contrair o vírus, e à nova gripe que circula pelo país, a H3N2;
  • receio de mudar a rotina de trabalho, que até então se tornou mais flexível, para uma dinâmica mais rígida ou regrada;
  • o retorno à rotina desgastante causada pelo trânsito e pelo tempo perdido no deslocamento até o trabalho;
  • medo de voltar a uma rotina de pressão e estresse diários causados pela liderança;
  • receio da perda da comodidade e flexibilidade na jornada de trabalho e do menor contato com a família.

Quais são os principais sinais do Forto?

Os sinais que indicam que uma pessoa pode estar com essa fobia são parecidos com sintomas gerais dos quadros de ansiedade: 

  • insônia;
  • batimento cardíaco acelerado;
  • irritação, impaciência e estresse;
  • mente acelerada com preocupações excessivas;
  • abuso de medicamentos tranquilizantes ou de bebida alcoólica.

Como o RH pode ajudar o colaborador com medo de voltar ao escritório?

Existem medidas práticas, que podem ser implementadas no dia a dia do escritório, e alterações nos processos estruturais da empresa, que vão muito além e envolvem transformações no mindset organizacional como um todo. Acompanhe!

Reforce os pontos positivos de estar no escritório

Algumas sugestões: o convívio e o relacionamento com os colegas de trabalho, que ajuda a reforçar os laços entre o time; a oportunidade de separar o trabalho do espaço doméstico, que acontece no caso do home office. Liste alguns benefícios do trabalho presencial e ressalte essas vantagens.

Informe com clareza quanto à mudança nos processos da empresa e da adoção de protocolos de segurança

Em momentos de incertezas e inseguranças é essencial deixar claro quais estão sendo as medidas adotadas pela empresa, independente da frente de atuação. 

Por exemplo, para evitar a contaminação pela covid-19 e, inclusive, se há exigência da vacinação, caso a organização adote essa regra, informe a todos sobre a necessidade de apresentar o cartão de vacinação no primeiro dia. 

Também comunique dos demais processos adotados a fim de promover um retorno mais tranquilo para todos.

Invista na segurança do time

Pense em espaços de trabalhos mais distantes — sem abrir mão da ergonomia adequada — e peça a todos que se atentem aos protocolos de segurança: sempre usar a máscara, higienizar bem as mãos, evitar fazer o horário de almoço com muitas pessoas, entre outras medidas.

Treine o RH para ser um canal de escuta

É fundamental não negligenciar as dores do colaborador que sofre de Forto nesse momento, pois essa é uma questão que envolve aspectos importantes da vida de uma pessoa, inclusive, a saúde mental. Por isso, ouça, preste atenção e ofereça ajuda.

Outras iniciativas que a empresa pode adotar: políticas internas, liderança, modelo de trabalho

Além de prestar cuidados aos colaboradores que sofrem com a fobia do retorno ao escritório, é possível pensar em medidas que envolvem a transformação da cultura organizacional. 

Nesse sentido, estamos falando de planejamentos que vão desde:

  1. Investimentos em melhorias para o time. De maneira geral, é aconselhável pensar em melhorias para a rotina dos colaboradores. Essas facilidades podem envolver revisões nos benefícios, implementação de horários flexíveis, upgrade no plano de saúde, entre outros;
  2. Orientação ao time de líderes para adotarem gestões mais humanas e acolhedoras com seus liderados;
  3. Estruturação de novos formatos de trabalho. O modelo híbrido é uma das preferências do mercado e é algo que muitas empresas já adotaram de forma definitiva. Por isso, se a sua organização ainda não oferece, é hora de pensar nessa possibilidade até como uma forma de atração de talentos.

Mediante à identificação de Forto entre os colaboradores, uma reflexão é válida entre os gestores e líderes em parceria com o RH: por que os colaboradores estão com medo? O que era feito antes que agora ficou evidente que não era algo saudável para o time?

Ou ainda, o que os colaboradores mais precisam para ter uma rotina de trabalho saudável, feliz e, principalmente, um ambiente acolhedor e seguro psicologicamente

Tudo isso deve ser refletido em transformações na rotina e na cultura organizacional da empresa, afinal, já foi comprovado que 75% dos profissionais esperam se sentir seguros na retomada e poder falar de saúde mental no espaço corporativo.

Por fim, é importante ressaltar aos colaboradores que o retorno ao trabalho deve ser encarado como um novo começo, como se estivessem iniciando uma nova jornada na empresa. 

Além disso, vale frisar que a ocorrência de Forto é normal, afinal, grande parte dos trabalhadores ficou muito tempo em casa e o cérebro acabou se acostumando a essa rotina que, para muitos, é a ideal de trabalho. Por isso, é necessário que as pessoas entendam que o reinício pode parecer complicado, mas é passível de superação.

Ao entender como acontece a fobia de voltar ao escritório pode ser que você tenha percebido que implementar o home office pode ser uma estratégia inteligente para a sua empresa, certo? Se esse é o caso, saiba que um dos aspectos mais importantes é oferecer insumos e orientar para a correta ergonomia no trabalho.

Para ajudar na implementação do home office com segurança, preparamos este Guia: Monte o home office do seu time e achamos que pode ser bastante útil neste momento. Aproveite para baixar gratuitamente!


Logotipo Pipo Saúde
Pipo Saúde

Conectamos a sua empresa com os melhores benefícios de saúde: Planos de saúde, odontológico e muito mais para o bem estar dos colaboradores da companhia.

Pronto para simplificar a gestão de saúde da sua empresa?

Comece agora uma nova relação com o plano de saúde da sua empresa.

Quero uma demonstração

Posts recomendados