Absenteísmo: como e por que calcular a falta no trabalho?

10/6/2021

Por

Carolina Lais

Absenteísmo: como e por que calcular a falta no trabalho?

Talvez você ainda não saiba o que é absenteísmo, mas todo setor de RH observa com atenção as faltas dos funcionários. A taxa de absenteísmo indica, com mais precisão, a quantidade de ausências e atrasos dos colaboradores de uma empresa.

Mesmo quando as ausências são justificadas, quando se tornam recorrentes ou se acumulam, uma série de problemas podem acontecer no ambiente de trabalho. Por isso, é essencial ficar de olho nesse índice e atuar para reduzi-lo o máximo possível. 

Neste conteúdo, você vê:

O que caracteriza a falta no trabalho?

Ao pé da letra, absenteísmo significa se abster de alguma função, ou seja, deixar de realizar uma determinada obrigação. Isso pode acontecer na escola, faculdade e, é claro, no ambiente de trabalho.  

Sendo assim, o absenteísmo no trabalho é o termo utilizado para definir faltas ou atrasos de funcionários, mesmo quando eles são justificados

Quando isso acontece com frequência, é bem provável que o desenvolvimento profissional do colaborador e a produtividade de toda a sua equipe sejam prejudicados. 

Então, se as taxas de absenteísmo da empresa estão altas, é fundamental compreender quais são as razões disso e o que pode ser feito para as resolver. 

É natural que o funcionário tenha que faltar para resolver problemas pessoais ou mesmo que se atrase por causa de um imprevisto. No entanto, se isso está acontecendo com frequência ou se atinge vários colaboradores ao mesmo tempo, pode indicar que existem problemas dentro da organização. 

Funcionários desmotivados, conflitos internos, excesso de trabalho, entre outros fatores, podem influenciar as ausências na empresa.

Tipos de absenteísmo

É preciso classificar o absenteísmo para entender o que pode ser feito para resolvê-lo. Existem faltas motivadas pela empresa e outras pelo próprio funcionário. Além disso, em ambos os casos, as ausências podem ser justificáveis ou não justificáveis. 

Entenda melhor:  

Absenteísmo justificado

A legislação trabalhista prevê diversas situações em que um funcionário com carteira assinada pode se ausentar do serviço. Veja algumas delas:

  • nascimento de filhos;
  • casamento;
  • falecimento de cônjuge ou de parentes próximos;
  • doação de sangue;
  • realização de provas para ingressar no ensino superior. 

Nesses casos, as faltas são justificadas e nem mesmo são descontadas do trabalho. Também é natural que o colaborador se ausente para ir ao médico ou se atrase vez ou outra por conta de imprevistos. 

Absenteísmo não justificado

A falta injustificada, como o nome indica, acontece sem qualquer autorização ou comunicação à empresa. É quando o colaborador falta e não diz o motivo ou mesmo saí no horário de trabalho sem qualquer justificativa. 

Se o funcionário disser que foi ao médico, mas não apresentar atestado, por exemplo, a empresa também pode considerar o caso como um absenteísmo não justificado. 

O que causa o absenteísmo? 

Além de situações imprevistas, que certamente vão acontecer com qualquer funcionário, existem outras motivações que podem provocar as faltas — essas sim podem ser reduzidas. Entre elas:

  • conflitos internos e falta de comunicação;
  • acúmulo de tarefas;
  • desmotivação e desinteresse pela função desempenhada;
  • falta de plano de carreira. 

Turnover e absenteísmo: qual a diferença?

Turnover e absenteísmo são indicadores diretamente proporcionais, mas são diferentes. O turnover mede a taxa de rotatividade dos colaboradores, ou seja, quantos funcionários saíram da organização em um período. Já o absenteísmo, como já sabemos, mede as faltas e atrasos dos funcionários. 

Toda empresa tem absenteísmo e turnover, mas é importante mensurá-los para verificar se as taxas não estão apontando problemas, como falta de infraestrutura, má remuneração.

As ausências de um colaborador podem significar que ele não está satisfeito com a empresa, o que pode motivar a sua saída. Você percebe como o absenteísmo influencia o turnover e vice-versa? Se um indicador está alto, é bem provável que o outro também esteja. 

Qual a relação entre falta no trabalho e NR 17?

Uma das Normas Regulamentadoras, a NR 17, estabelece parâmetros para questões ergonômicas dentro do ambiente de trabalho. Em outras palavras, a norma propõe diversas ações que as empresas devem tomar para melhorar a relação dos colaboradores com os equipamentos de trabalho que eles utilizam. 

Estão entre os assuntos do documento:

  • características dos mobiliários dos postos de trabalho;
  • questões sobre o levantamento, transporte e descarga individual de materiais;
  • condições ambientais de trabalho;
  • organização do trabalho. 

Como vimos, a NR 17 visa garantir o conforto, a saúde e a segurança dos trabalhadores. Nesse sentido, fica fácil entender como ela se relaciona com as faltas no trabalho. 

Quando as medidas da norma são aplicadas, é possível reduzir os problemas de saúde dos funcionários, melhorar o clima organizacional e, consequentemente, reduzir a taxa de absenteísmo.

Como calcular o índice de absenteísmo?

O cálculo para saber a taxa de absenteísmo na empresa é muito simples e fica ainda mais descomplicado se dividirmos ele em passos:

  • 1º: multiplique o número de colaboradores pelo número de horas e dias de trabalho;
  • 2º: encontre o número de horas perdidas somando todos os atrasos e faltas;
  • 3º: divida o número de horas perdidas pelo número de horas de trabalho;
  • 4º: multiplique o valor encontrado por 100 para encontrar o percentual. 

O resultado será a taxa de absenteísmo! Quer ver um exemplo?

Vamos imaginar uma empresa de 10 funcionários que trabalham 8 horas por dia, durante 22 dias no mês. Seguindo a primeira etapa, (10 x 8 x 22), entendemos que eles trabalham 1760 horas por mês.

Agora, vamos supor que a soma das faltas e atrasos de todos os colaboradores tenha sido de 120 horas. O próximo passo é dividir as horas trabalhadas e perdidas: 120 / 1760 = 0.068. 

Sendo assim, nesse caso, a taxa de absenteísmo é de 6,8% — um número bem preocupante! 

Qual é o índice saudável de absenteísmo para empresas?

É impossível zerar o absenteísmo. Afinal de contas, mesmo se a empresa adotar várias medidas de controle, imprevistos acontecem e é natural que o funcionário chegue atrasado ou falte de vez em quando. Ainda que todo mundo se esforce muito, faz parte da vida.

Mas isso não quer dizer que não devemos ficar de olho na taxa de absenteísmo. Segundo uma pesquisa divulgada pelo portal Exame, as 500 maiores empresas do Brasil perdem R$ 230 milhões por ano devido à improdutividade, faltas e rotatividade. 

Então, como saber se o índice de absenteísmo de uma empresa é saudável? Geralmente, um índice de 3 a 4% por mês é considerado normal e acima disso é preciso acompanhar com mais atenção.

Principais causas de alto índice de falta no trabalho

Existem vários motivos que podem levar a um alto índice de absenteísmo e nós vamos falar sobre os principais deles a seguir.

Problemas pessoais

Não é apenas o que acontece dentro da empresa que pode provocar excesso de faltas ou atrasos no trabalho. Isso também pode acontecer por conta de problemas pessoais, como brigas no casamento ou na família, questões financeiras, doenças de pessoas queridas.

Falta de infraestrutura

Se a ideia é que o profissional fique motivado e comprometido com o trabalho, é indispensável dar todas as ferramentas e infraestrutura que ele precisa para executar as suas funções.

Caso não tenha condições de trabalho adequadas, é provável que os colaboradores sejam menos produtivos e assíduos.

Dificuldade de relacionamento com as lideranças e outros colaboradores

O ambiente de trabalho precisa ser acolhedor e respeitoso para que os funcionários se sintam felizes em ir para a empresa. Isso reduz as faltas injustificadas e estimula o colaborador a se levantar da cama para chegar no horário certo.

Uma das coisas que impede isso de acontecer é ter uma liderança autoritária, que só faz exigências e esquece de ouvir os seus liderados. Geralmente, quando isso acontece, essa dinâmica é repetida entre os funcionários e a convivência fica muito complicada. 

Desvalorização profissional

A relação profissional é uma via de mão dupla, não é verdade? Quando o funcionário não é valorizado, a tendência natural é que ele tenha um desempenho pior, adoeça mais e tenha menos assiduidade no trabalho.

Problemas de medicina e segurança do trabalho 

Quando a empresa deixa de investir em medicina e segurança do trabalho, os números de  acidentes e doenças ocupacionais (que também interferem no índice de absenteísmo) tendem a aumentar.

Vale lembrar que investir em medicina do trabalho, além de melhorar a produtividade e o clima, também é uma forma de economizar com o plano de saúde empresarial — os dois serviços são complementares e podem fazer maravilhas na organização.

Como diminuir o índice de falta no trabalho?

Encontrou uma grande taxa de faltas? Calma! Existem várias medidas que podem ser adotadas pela empresa para reduzir o número de faltas no trabalho, veja as principais:

Faça pesquisas de satisfação

Realizar pesquisas de satisfação regularmente é essencial para saber como os colaboradores se sentem no ambiente de trabalho e o que pode ser feito para melhorar. 

Dessa forma, o funcionário se sente ouvido e respeitado pela empresa, percebe o interesse da administração em aprimorar o clima organizacional, e tende a se comprometer mais com o trabalho. 

Seja transparente no processo de seleção

Em alguns casos, o que a empresa pode fazer para evitar o absenteísmo começa no processo de seleção e recrutamento. Contratar o perfil errado para uma vaga pode causar diversos problemas, inclusive as faltas no trabalho. 

Afinal, o colaborador não vai conseguir se identificar com os objetivos da empresa e nem desempenhar bem a função — se tornando muito mais propenso ao absenteísmo. Esse é mais um ótimo motivo para investir no processo de seleção. 

Tenha uma boa comunicação interna

Ruídos na comunicação interna prejudicam a produtividade, provocam brigas, fofocas, e prejudicam o clima organizacional de modo geral. 

A melhor maneira de evitar isso é investir em uma comunicação interna transparente e objetiva. Os líderes precisam dar feedbacks e também estarem preparados para ouvir os funcionários. 

Para “quebrar o gelo” pode ser legal fazer confraternizações e happy hours.  

Valorize o funcionário

Baixa remuneração e ausência de benefícios influenciam negativamente a produtividade dos colaboradores. Para evitar isso, é interessante investir em premiações, feedbacks, criar planos de carreira e outras medidas de valorização. 

É essencial que cada funcionário tenha seu esforço reconhecido e saiba o quanto o seu esforço é relevante para a equipe. 

Ofereça maior qualidade de vida do colaborador

Um funcionário doente, estressado e que vive reclamando pelos cantos não é bom para ninguém. Um olhar mais humano e empático para os colaboradores é algo fundamental para empresas que desejam reduzir o número de faltas. 

Disponibilizar benefícios que realmente façam a diferença, como bons planos de saúde, por exemplo, é uma ótima medida para  melhorar a qualidade de vida dos colaboradores e, consequentemente, reduzir o absenteísmo. 


Como citamos acima, é muito importante entender a percepção dos seus colaboradores sobre a sua empresa e, para isso, a melhor alternativa é a realização de uma pesquisa de clima. Baixe a nossa planilha e comece a se planejar hoje mesmo!


Planilha de pesquisa de clima organizacional | Pipo Saúde


Logotipo Pipo Saúde
Pipo Saúde

Conectamos a sua empresa com os melhores benefícios de saúde: Planos de saúde, odontológico e muito mais para o bem estar dos colaboradores da companhia.

Inscreva-se na Newsletter da Pipo!

Imagem de um brilho.

Pronto para simplificar a  gestão de saúde da sua empresa?

Comece agora uma nova relação com o plano de saúde da sua empresa.

Quero uma cotaçãoImagem de uma estrelinha.

Posts recomendados