Como fazer pesquisa salarial: guia para empresas

Por

Aline Oliveira

Publicado em

25/5/21

Atualizado em

Salários e benefícios são os fatores que mais atraem os profissionais para uma vaga e que retêm os que já fazem parte da empresa. Mas, imagina quando os salários são oferecidos ao léu, sem ter uma boa pesquisa salarial como base? Complicado, não é?

Quando isso acontece, não é difícil pensar em vários prejuízos para a organização, como a falta de alinhamento com o que é praticado pelo mercado e a perda de oportunidades de contar com os melhores profissionais no time.

Porém, tão importante quanto realizar a pesquisa de salários é fazer isso de forma correta e estratégica, além de entender o real objetivo dessa ferramenta e saber aproveitar os benefícios a partir de uma análise bem-feita. 

Tem curiosidade de aprender tudo isso? Você está no lugar certo, continue a leitura!

Aqui você vê:

O que é pesquisa salarial

A pesquisa salarial é uma ferramenta voltada para que as empresas descubram se os salários oferecidos estão em vantagem competitiva no mercado em que atuam.

Ela serve para manter um equilíbrio entre as atividades desempenhadas pelo colaborador e para definir uma forma justa de ele ser recompensado por executar essas tarefas.

Em outras palavras, a pesquisa salarial é uma estratégia importante para que a empresa ofereça os salários de forma menos subjetiva e mais focada na prática do mercado e nas necessidades da organização.

Os principais objetivos da pesquisa salarial

A principal finalidade da pesquisa de salários é oferecer insumos, dados e bases para que a empresa possa tomar decisões de maneira mais estratégica e menos focada em suposições e achismos. 

Isso também ajuda a definir qual é o mínimo justo a ser pago — dentro da legislação de cada categoria — assim como o máximo que a companhia pode oferecer para se destacar da concorrência.

Além disso, ao avaliar a melhor composição salarial, as organizações evitam desigualdades internas e até uma crise no clima organizacional, pois assim, os salários serão baseados em realidades apontadas pela pesquisa.

Se a organização oferece, por exemplo, um salário mais baixo que outra empresa para profissionais que desempenham as mesmas atividades, ela estará fadada a perder pessoas para companhias que demonstram valorizar mais os trabalhadores com a oferta de salários melhores.

Por isso, uma pesquisa salarial permite que a companhia seja coerente com esses profissionais, se antecipe e saia na frente de seus concorrentes ao oferecer remunerações mais vantajosas.

Qual a importância e as vantagens de fazer pesquisa salarial nas empresas

Fazer uma pesquisa salarial é útil para a criação de um plano de remuneração atraente, para a retenção dos talentos que já atuam na empresa, além de ser vantajoso para recrutar novos profissionais

Além disso, essa estratégia ajuda a manter o equilíbrio interno por reduzir desnivelamentos salariais, principalmente os causados por diferença de gêneros e níveis hierárquicos.

Investir em pesquisas salariais torna a empresa mais competitiva e, com isso, os benefícios não param por aí, pois, a partir disso é possível:

  • entender o cenário em que a organização se encontra para definir as possibilidades de oferecer aumento de salário e compreender de que forma isso pode ser feito;
  • estar de acordo com a legislação, em relação aos pisos e tetos, e não sofrer processos trabalhistas no futuro;
  • estar por dentro das práticas do mercado e com isso oferecer valores mais atraentes e competitivos;
  • implementar políticas de benefícios mais coerentes com os salários oferecidos;
  • ter insumos e dados que ajudarão a elaborar o plano de desenvolvimento dos colaboradores;
  • ter uma visão mais clara sobre a realidade da empresa e entender se os salários estão coerentes não só com o mercado, mas com o que é praticado em cada setor, evitando-se assim, uma discrepância entre funções e salários e desigualdades entre as áreas.

Vale destacar outro ponto relevante de se investir em pesquisa salarial que é estabelecer a política remuneratória da empresa focada na estratégia ideal para aquele momento. Como assim? 

Por exemplo: uma empresa que ainda está se estruturando, consegue, a partir da pesquisa salarial, saber se aquele é o melhor momento para montar um novo setor, com a contratação de novos profissionais, mesmo sem ter condições de oferecer um salário atrativo.

A partir disso, se o foco da organização é contratar sob salários mais baixos para suprir demandas urgentes, é preciso que a estratégia de recrutamento também seja avaliada, como a contratação de mão de obra menos qualificada em um primeiro momento.

Sendo assim, se a empresa precisa criar uma área, mas não pode investir em profissionais mais qualificados tecnicamente, ela poderá oferecer um salário abaixo da média, mas, por outro lado, investir em capacitação de pessoal.

Por isso, tenha sempre em mente que a pesquisa salarial não serve apenas para oferecer um panorama de benefícios voltados à competitividade de mercado, como também adequar as estratégias de contratação ou para ajustes internos de acordo com a realidade da companhia.

Como identificar empresas participantes

Certo, entendidos os objetivos de realizar pesquisa salarial e as vantagens disso, você pode estar se perguntando como identificar concorrentes a altura para avaliar salários e fazer uma análise eficiente, acertamos? 

Em muitos casos, as empresas se unem para fazer uma avaliação em conjunto e que servirá para implementação das estratégias individuais. Essa pode ser uma alternativa interessante para elaborar uma pesquisa salarial maior e com dados mais concretos das principais companhias da área. 

Independentemente do caso, se optar por realizar uma pesquisa de maneira individual ou com a ajuda de parceiros, sugerimos que alguns critérios sejam levados em consideração:

Tenha um número de concorrentes relevante para avaliação

Comparar salários entre empresas só é efetivo quando você tem um número representativo de organizações para avaliar; do contrário, os dados podem ser menos consistentes e não apresentar um cenário real do mercado.

O indicado é que, se possível, sejam avaliados os salários de ao menos sete empresas para embasar a pesquisa com mais informações relevantes e para que você tenha uma análise mais fidedigna e coerente com a realidade. 

Porém, ainda mais importante que quantidade de empresas participantes, é garantir a qualidade da avaliação, e vamos falar disso no próximo tópico.

Leve segmento, porte e região geográfica em consideração

Não é eficiente comparar salários por cargos de áreas tão diferentes umas das outras, afinal, cada segmento tem suas necessidades e, certamente, isso é refletido na relevância de cada cargo e seu salário.

Um analista de marketing, por exemplo, tem atividades e desafios completamente diferentes de um analista do ramo da indústria, por isso, as comparações salariais não são eficientes nesse caso.

Com isso em mente, tenha atenção à semelhança entre os segmentos antes de escolher as empresas para fazer o comparativo.

As regiões das quais se pretende analisar a média salarial também é outro ponto crucial na hora de escolher as organizações participantes desse tipo de pesquisa. Isso acontece porque o custo de vida muda muito de uma região para outra, especialmente, quando trata-se de regiões distantes umas das outras.

Uma boa prática, por exemplo, é analisar os salários de empresas da mesma área e localizadas na mesma cidade — ou o mais segmentado possível. Saiba que, muitas vezes, a variação salarial pode ser alta até mesmo em uma análise entre cidades do mesmo estado.

Por último, outro fator relevante é levar em consideração o porte da empresa e a participação no mercado. É complexo comparar, por exemplo, o salário de um assistente em uma organização de pequeno porte com outra de grande porte.

Isso porque empresas maiores também têm receitas maiores e contam com planos de expansão planejados de forma diferente das de médio e pequeno portes. Assim, a análise não seria tão justa, certo?

Tipos de remuneração

Você sabia que existem diferentes tipos de remuneração no mercado? Tenha em mente que estamos falando de remuneração propriamente dita e não apenas dos benefícios. Isso quer dizer que existem empresas que oferecem algum tipo extra de remuneração e as que trabalham apenas com o fixo padrão.

Entender os tipos de remuneração mais praticados é importante para as empresas que pretendem se destacar no mercado e oferecer um plus aos colaboradores e atrair candidatos que buscam por empresas empenhadas na valorização do capital humano.

Entenda como funcionam os principais tipos de remuneração mais implementados.

Remuneração funcional

Esse é um dos tipos mais comuns de remuneração praticados pelas empresas, pois está diretamente relacionado ao cargo do colaborador e à possibilidade de ter o salário melhorado a partir do plano de cargos e salários da companhia.

À medida em que a pessoa vai se desenvolvendo e subindo de posições, o seu salário também tende a subir. Você pode estar pensando que essa é uma forma de remuneração mais tradicional e que não é novidade, certo?

O que acontece, porém, é que, apesar de bastante praticado pelo mercado, muitas empresas não dão a devida atenção a esse tipo de remuneração e não atualizam o salário do profissional. 

Com isso, pode haver desmotivação interna e até aumento de turnover principalmente entre aqueles colaboradores que não sabem ou não têm iniciativa para negociar um aumento depois de um tempo de casa.  

Sendo assim, se a sua empresa pratica o tipo de salário funcional, tenha atenção à correta comunicação e divulgação disso aos profissionais ainda no processo seletivo, e quanto à atualização dos valores do decorrer do tempo.

Remuneração variável

Especialmente empresas que trabalham com vendas de produtos ou serviços implementam a remuneração variável como forma de incentivar os funcionários a alcançarem sua melhor performance. 

Nesse modelo, além do salário contratual há a variação todos os meses que pode ser por alcance de metas, premiações, bônus, entre outros. Assim, os salários dos trabalhadores são complementados com uma média mensal, variando para mais ou para menos, a depender das metas da empresa.

Remuneração por participação

Em alguns países existe a forma de remuneração por participação que funciona de maneira diferente da praticada no Brasil: as organizações oferecem uma parte da empresa aos colaboradores, na chamada remuneração acionária.

Aqui, o formato mais parecido é de PLR (Participação nos Lucros e Resultados), no qual os colaboradores recebem, periodicamente, uma participação da lucratividade da companhia. 

Ainda que seja tratada como forma de remuneração — nos casos em que a companhia paga esse valor com frequência —, muitas vezes, a PLR é paga duas vezes no ano e, por isso, é vista como um benefício opcional. Inclusive, saiba que é um dos mais valorizados pelos trabalhadores.

Como fazer uma pesquisa salarial - Passo a passo

Assim como as demais atividades estratégicas do RH, a pesquisa salarial deve ser elaborada com critério e planejamento. Veja algumas medidas importantes:

1. Defina o objetivo da pesquisa

O primeiro passo é definir o objetivo da pesquisa: trata-se de um processo que será feito sazonalmente? É parte de um estudo para entender a retenção de determinados cargos ou setores? Essas perguntas devem ser feitas para definir um plano e, só então, partir para as próximas etapas.

2. Analise a média salarial interna

Ainda que os salários sejam definidos de acordo com as atividades exercidas internamente, é preciso considerar a média salarial da própria empresa. Como fazer isso? Listando os cargos e funções e analisando a coerência salarial com as atividades.

Por exemplo: áreas que exijam o mesmo nível de formação e contam com funções de complexidades similares não podem ter uma diferença muito grande de um salário para outro. A mesma equiparação, de forma justa e coerente, deve ser feita em relação à política interna de benefícios.

3. Avalie a média salarial oferecida pelos concorrentes do mesmo setor

Existem consultorias que fazem a análise do salário ofertado pelas empresas do mesmo segmento e você pode avaliar a contratação desse serviço. 

Porém, se for decidido que a pesquisa será realizada internamente pelo RH, não deixe de verificar o porte das companhias concorrentes, pois devem ser do mesmo que a sua. 

Outro ponto importante é verificar a localização geográfica das empresas, pois o custo de vida varia de uma cidade para outra e isso também impacta na composição dos salários.

Além da remuneração, é muito importante pesquisar sobre os pacotes de benefícios também oferecidos (ou não) por elas, levando em conta os mesmos parâmetros utilizados na pesquisa interna que citamos anteriormente.

4. Verifique as funções e não a nomenclatura dos cargos

Um erro muito cometido na hora de realizar esse tipo de pesquisa é fazer a comparação dos salários utilizando como base os nomes dos cargos e não as funções e atividades exercidas pelos colaboradores. 

Isso pode ser um equívoco, pois uma pessoa que ocupa um cargo na sua empresa pode executar tarefas diferentes de outra que tem o cargo de mesmo nome em outra organização. Por isso, a saída é pesquisar, inicialmente, pelas funções e não pelo nome da posição ocupada.

5. Utilize ferramentas especializadas e gratuitas 

Se você já está ciente da importância de ter um RH mais estratégico e orientado a dados, já deve ter uma boa noção do papel essencial da tecnologia nas atividades de gestão de pessoas, certo?

Uma forma de utilizá-la a favor da pesquisa salarial é fazer as buscas em sites específicos do âmbito profissional, como o Glassdoor (antigo Love Mondays). Inclusive, você pode conferir muitas colaborações úteis inseridas de forma anônima. 

No Glassdoor também é possível pesquisar quais são os benefícios mais oferecidos pelos concorrentes. Basta criar uma conta gratuita e digitar o nome da empresa que precisa consultar. O LinkedIn também é uma boa ferramenta para acompanhar as tendências de mercado nesse sentido.

Plano de cargos e salários: como a pesquisa salarial pode ajudar

A empresa que investe em uma pesquisa de salários aprofundada e respaldada na realidade do mercado já está à frente para oferecer um negócio melhor estruturado e atento à valorização e retenção de seus talentos. 

Uma das formas de oferecer vantagens realmente competitivas é montando um plano de cargos e de salários a partir de uma pesquisa salarial bem-feita, pois ela refletirá a prática das empresas e servirá de base para elaboração de planos realmente interessantes para os profissionais.

Para finalizar, reforçamos a importância de colocar em prática esses passos e analisar os resultados obtidos a partir dos apontamentos da pesquisa salarial.

Não adianta, por exemplo, fazer a análise e colocar as informações no fundo da gaveta, negligenciando dados que podem tornar a sua empresa ainda mais relevante, concorda?

Já ouviu falar no salário sob demanda? Esse é um assunto importante e que tem a ver com este artigo. Aproveite para complementar a leitura!


Logotipo Pipo Saúde
Pipo Saúde

Conectamos a sua empresa com os melhores benefícios de saúde: Planos de saúde, odontológico e muito mais para o bem estar dos colaboradores da companhia.

Pronto para simplificar a gestão de saúde da sua empresa?

Comece agora uma nova relação com o plano de saúde da sua empresa.

Quero uma demonstração

Posts recomendados